Geralmente, no final do ano eu tento passar o maior tempo possível viajando. Por ser professor, eu tenho férias longas e tento aproveitar o máximo. Dessa vez foram 33 dias na Europa, mas eu devo confessar que senti que a viagem poderia ter terminado na Irlanda. Parece loucura e pode ser mesmo. Acho que fiquei bem cansado e senti que já tinha dado.

O que fazer nesse caso? Tirar férias das férias. Se geralmente eu planejo meus dias em torno das atrações da cidade, nesse momento eu planejei cada refeição – o que comeria e onde. Sim, eu fiz planos para o café da manhã, almoço e jantar. Porém, para dar fome, era preciso fazer alguma coisa nos intervalos. Por isso, eu acabei conhecendo a cidade por tabela, que diga-se de passagem, é bonita de doer. O centro histórico é, por si só, uma atração à parte. Desde a praça central, com sua igreja imponente e horda de turistas esperando ver o relógio que toca música e se move a cada hora até as ruelas que parecem te levar a algum lugar do passado, a atmosfera de Praga a torna umas das capitais mais preciosas da Europa. Some a isso o inacreditavelmente grande Castelo de Praga – nós tivemos bastante coisa para fazer.

A cidade é cortada pelo Rio Moldava. A Ponte Carlos (Karluv Most) é a mais antiga da cidade e é maravilhosa. Ela pode ser o caminho que você vai percorrer para cruzar o rio, indo do centro histórico até o outro lado, onde fica o Castelo de Praga (CZK . O que eles chamam de castelo é, na verdade, um complexo de atrações históricas que demandam bastante tempo para visitar com a calma que elas merecem. Lá é tão grande que é considerado o maior castelo do mundo. Ele fica no alto de uma colina e é o local onde a cidade começou. A edificação principal do complexo é a imponente Catedral de S. Vito, que levou quase 600 anos para ser construída. O lugar que mais gostei por lá foi uma rua em que construções tradicionais estão preservadas e mostram como era a vida dos locais como ela era há muito tempo.

Fui também à Sinagoga Espanhola. Ela é maravilhosa e faz parte do circuito histórico judaico da cidade. Além da decoração em estilo mouro, chama atenção uma exposição sobre a população judaica na República Tcheca que você também poderá visitar. Na verdade, nós fizemos um tour guiado por diversas atrações desse circuito, mas eu achei que somente o cemitério judeu e essa sinagoga realmente valeram a pena. Talvez nós tenhamos dado azar com nossa guia, que não era muito simpática.

 No tempo que sobrou, fomos às compras e finalmente achamos casacos para o frio bons e com preço descente. Obviamente, isso foi no último dia, depois de quase ter morrido várias vezes de hipotermia na Hungria e na República Checa.

DICAS

O BadJeff’s Barbecue serve um hambúrguer com o qual eu sonho até hoje. Fui duas vezes e fiquei triste por não poder voltar toda semana.

O Vegan’s Restaurant Prague tem comida vegana modernosa, saborosa e chás imperdíveis! O atendimento é impecável.

Restaurantes tradicionais na cidade servem joelho de porco com repolho. O Mlejnice é famoso por esse prato. O sabor é bom, mas produz peidos homéricos.

Se bater o cansaço da viagem, passe um dia no hotel, ou vá ao cinema. Tente fazer algo que você faria em casa.