Essa cidade de nome difícil de pronunciar aparece com frequência no roteiro de viajantes que não querem que sua experiência na República Tcheca se limite à Praga. No sul do país, essa vila medieval fica a 3 horas de ônibus da capital e é considerada Patrimônio da humanidade pela UNESCO. O cenário parece ter sido moldado para um filme. Não é possível ficar alheio às construções pitorescas e ao charme do rio Moldava, que corta a cidade.

Aqui, o melhor é andar sem pressa, parando para ver as lojinhas, comer algo e apreciar a arquitetura encantadora. No nosso caso, fomos em janeiro. Embora o frio estivesse intenso, a neve deixou tudo ainda mais lindo, como as fotos tentam mostrar. Nesse período, o turismo dá uma trégua, mas infelizmente algumas atrações fecham, como parte do castelo e seu jardim.

Além de vagar pelas ruas da cidade, o programa que mais gostei foi a visita a um museu chamado Museum Fotoatelier Seidel. Lá era o atelier do fotógrafo Seidel. O lugar está muito bem preservado e mostra e história da fotografia por meio do trabalho desse gênio!

DICAS

Nessa cidade é fácil de encontrar o Trdelník, um tradicional doce feito com uma massa oca parecida com a que é usada para fazer um pretzel. Para melhorar a situação, você pode escolher um recheio deliciosamente gordo para aumentar a perdição.

Para uma comida francesa que parece ter saído dos melhores restaurantes de Paris, vá ao Le Jardin. Melhor fazer reservam, já que é bem concorrido.

O Resturante Nonna Gina serve comida italiana maravilhosa e tem uma decoração que te transporta direito para uma casa tradicional da Itália.