INFORMAÇÕES GERAIS E DESLOCAMENTOS

O Estado do Rajastão é simplesmente fascinante. Aqui você encontrará fortes, monumentos, mercados, sabores e cores que são procurados pela maior parte dos turistas que vêm para a Índia. Depois de Rishikesh, Delhi, Varanasi e Agra, selecionamos três cidades no Rajastão: Udaipur, Jodhpur e Jaisalmer. Muita gente vai pra Jaipur também, mas nosso tempo era curto e preferi Udaipur, depois de ler que era uma cidade mais calma e relaxante. Embora eu não tenha ido a Jaipur, não me arrependi de minha escolha – Udaipur foi incrível.

Veja o mapa que destaca o estado do Rajastão, na Índia.

rajastão map

Já este aqui mostra as três cidades que visitamos na região: Udaipur, Jodhpur e Jaisalmer e também de onde viemos (Agra) e para onde fomos depois (Délhi).

rajastan itineraray

Infelizmente, os deslocamentos não são fáceis. Há poucos aeroportos na região e os voos não conectam as cidades pequenas umas às outras. O jeito tradicional indiano de viajar, não somente no Rajastão, mas em todo o país, é o trem. Durante meu planejamento, eu reservei minhas passagens pelo site oficial do governo (como relatei no posto sobre planejamento e BOs) e fiquei razoavelmente confiante de que o trem seria bom o suficiente. Eu não esperava os luxuosos trens do Japão ou da Europa e a simplicidade dos vagões de primeira classe indianos não me incomodaram. Porém, não dá para confiar, em absoluto, nos horários. É perfeitamente normal os trens atrasarem horas! Então vá preparado para enfrentar esse perrengue com paciência. Também há ônibus, mas as estradas são muito perigosas e eu não recomendaria. Uma alternativa seria contratar um motorista que pode ficar com você durante todo o tempo e ainda servir como guia.

Em um certo momento, motivado pela frustração com trens e ônibus, meu marido disse que queria o tal do motorista/guia, custasse o que custasse. Eu olhei com um guia que uma conhecida havia me indicado e o preço era 45 mil  rúpias por dez dias (R$ 2500,00 na cotação do dia). Isso aconteceu ainda por causa da confusão da ida de Varanasi para Agra, em que acabamos cancelando o trem que iria atrasar mais que doze horas e nos envolvemos numa furada com o ônibus. Felizmente, depois de ele se acalmar, decidimos descartar essa ideia e tentar fazer alguns deslocamentos de táxi e outros de trem.

Assim, nossos deslocamentos foram:

*Agra para Udaipur: trem (Rs 2350 por pessoa). 12 horas de deslocamento a noite e mais quatro horas de atraso para partir.

 *Udaipur até Jodupur: táxi (5000 rúpias), parando em Kumbhalgarh Fort e no templo   Jain de Ranakpur. Originalmente faríamos esse trecho de trem, mas cancelamos por   causa dos perrengues. A viagem durou o dia todo e foi cansativa, mas valeu a pena,     principalmente pelos lugares visitados no caminho.

*Jodupur para Jaisalmer: táxi (5000 rúpias). Nesse trecho não exite trem, então é   necessário táxi ou ônibus.

*Jaisalmer para Délhi:  trem (Rs 2700 por pessoa). 14 horas de viagem e mais duas horas de atraso para partir.

Nós ficamos dois dias completos em cada cidade e eu acho que foram suficientes. Se fosse para escolher algum lugar para ficar mais tempo, escolheria Udaipur, ótima para descansar das loucuras das cidades maiores que havíamos visitado.

O QUE FAZER

Udaipur é linda! Tem dois lagos com construções belíssimas e é cheia de cafés e restaurantes no topo dos edifícios para apreciar e descansar. Além do imperdível palácio real, tem um show de danças do Rajastão todo noite no Dharohar Folk Dance, que é bem legal. Achei que valeu a pena. Chegue antes para pegar um lugar decente, porque, aparentemente, sempre lota. Em um dos dias em que estivemos lá, pegamos um táxi que rodou com a gente o dia todo, levando a alguns destinos na região. Visitamos o Ekling Ji Nagda Temple, que tem lindas cerimônias de manhã,  o templo Sas-Bahu, que é lindo e tem imagens do kama sutra nas paredes e o Monsoon Palace, que te dá uma vista de tirar o fôlego da região.

Jodhpur impressiona pelo imenso forte, hoje um museu, localizado no meio da cidade, no alto de uma montanha. Subimos de táxi e fiquei muito impressionado com a forma que tudo estava preservado e bem apresentado. Na saída do percurso tem um homem que lê a sua mão e outro que faz seu mapa astral (500 rúpias cada). Eu, mais que depressa, estendi minha mão para o senhor. Ele olhou com atenção e me deu ótimas notícias. Viverei mais que 80 anos, terei osteoporose, pressão alta, dinheiro não será problema, poderei ganhar uma grana com meus parcos/nulos talentos artísticos, não preciso de me divorciar do Silvino e sou fértil. Ele também me falou sobre os relacionamentos que já tive e sobre minha personalidade. Ele acertou quase tudo, fiquei satisfeito. Já comprei, lá mesmo na cidade, suplementos de cálcio para prevenir a osteoporose. Minha amiga médica me mandou a real e disse que não deveria me preocupar com isso agora. É ótima a sensação de ser trouxa!

Fora isso, havíamos lido que na cidade havia ótimos mercados. Infelizmente, achamos tudo uma zona tão grande que não deu vontade de comprar quase nada. Na verdade, até deu vontade de comprar umas estátuas lindas, mas quado vi o preço dei tchau para meus sonhos. Eu achei que os preços delas seriam tão bons quanto em outros países asiáticos, mas errei lindamente. O bom das nossas andanças por lá foi a loja de chás e temperos de nome Maharana Spices. Lá compramos quilos! Também compramos alguns temperinhos na na Mohanlal Verhomal Spices.

Jaisalmer é famosa por estar localizada no meio do deserto e ter um forte incrível. O mais interessante lá é que o forte abriga a própria cidade, diferentemente daqueles que vimos em em Jodhpur e  do Kumbhalgarh, que foram transformados em museus. A área dentro do forte tem restaurantes gostosos e ótimas lojinhas de artesanatos com os melhores produtos e preços que vimos na Índia.

A atração principal aqui é o deserto e as excursões para lá. No nosso caso, passamos uma noite no deserto com a empresa Adventure Travel Agency. O passeio começou no meio da tarde e o primeiro trecho é de carro, que nos levou até o ponto em que os camelos nos aguardavam. Depois, os animais escravizados levaram os animais ditos racionais para o acampamento. Esse trecho durou mais que uma hora e depois de 2 minutos eu já estava arrependido por ter sérias dúvidas quanto o conforto dos animais e a saúde da minha virilha. Chegando nas dunas, a paisagem era incrível e os nossos guias fizeram um jantar bem gostoso enquanto nos esquentávamos ao redor da fogueira. Depois de jantar, eles estenderam um colchonete na areia  e colocaram umas cobertas bem grossas para nós dormirmos ao relento. Olhei para aquela cena, pensei na escuridão do deserto, cobras e escorpiões que eu sei que moram por lá. O guia disse que deveríamos cobrir a cabeça por causa do frio e nós entendemos que o caso era de tentarmos proteger nossas vidas. Dormimos e sobrevivemos para ver o lindo amanhecer no deserto. Tomamos café da manhã feito por uma pessoa que afirmou ser adolescente mas tinha cara de ter dez anos. Sentindo-me péssimo por ter contribuído com a crueldade animal, colocado minha vida em risco e incentivado o trabalho infantil, subimos outra vez no camelo e fui roçando minha virilha no caminho de volta.

DICAS

  • No passeio no deserto, tem que levar papel higiênico, caso você queira ter a experiência de defecar ao ar livre. Favor levar fósforo também para queimar o papel. Favor cobrir sua bosta.

 

  • Se for passar por Jaisalmer, deixe suas comprinhas de artesanatos para lá, onde encontramos os melhores produtos e preços. Chás e temperos foram melhores em Jodhpur.

 

  • Os trechos entre as cidades do Rajastão são frequentemente feitos por táxis, que são boas alternativas ao trens e ônibus. Seu hotel pode te arrumar um, caso você não se sinta a vontade para aliciar alguém por conta própria. Sugiro entrar em contato com seu hotel antes da viagem perguntando sobre preço e se os táxis fazem o trecho específico que você irá precisar, já que deslocamentos muito longos costumas ser feitos mesmo somente por trem ou ônibus.