Informações Gerais e Quando Ir

O Canadá tem recebido cada vez mais brasileiros e os relatos de vários amigos e amigas que estiveram por lá me deixaram curioso. Eu me senti especialmente atraído pela qualidade de vida do país e pela fama de ser um lugar acolhedor e que se esforça para abraçar a diversidade. Sendo o Brasil um lugar altamente preconceituoso e perigoso para a população LGBT, estar em um país onde não preciso temer por minha existência já faz da viagem algo especial.

O Canadá é o segundo maior país do mundo e tem duas línguas oficiais: inglês e francês, sendo o inglês a língua predominante na maior parte do país e o francês a língua primeira língua do estado de Quebec. O país está localizado na América do Norte e tem baixa densidade populacional, principalmente por causa das condições inóspitas de grande parte do seu território. Esses fatores geográficos têm grande importância para o planejamento de viagens. O inverno é muito rigoroso e isso pode dificultar muito aproveitar o país, mesmo em cidades grandes. Se viajar nesse época for de seu interesse ou não houver outra opção, considere opções que incluam cidades menos frias, como Vancouver (temperatura média varia de 2 – 7 em janeiro, embora chova muito), ou destinos em que a neve faça parte da diversão, como Whistler ou Mont-Tremblant.

O verão não costuma ser tão quente e foi minha opção. Além das temperaturas relativamente amenas, as cidades costumam ter muitas opções de entretenimento na rua. Eu nem saberia dizer quantas vezes eu fui surpreendido por eventos de música e outras manifestações culturais na rua e de graça.

Meu Roteiro e Transporte

Com tantas opções de lugares interessantes no país, foi difícil escolher onde passar os 12 dias que eu tinha disponíveis. Acabei optando pela costa leste, fazendo um roteiro em que eu poderia ir de uma cidade para a outra sem gastar muito tempo e de preferência de trem. O roteiro que fiz foi seguinte: Toronto (3 noites) – Montreal (6 noites) – Mont-Tremblant (1 noite) – Quebec City (4 noites).

Capture

Sobre o transporte, eu usei o trem para fazer todos os trechos, com exceção de Montreal para Mont-Tremblant e de volta para Montreal, que fiz de ônibus, com a empresa Gallant. A empresa Via Rail Canada é a responsável pelas ferrovias do país e minha experiência foi muito positiva. As estações não são afastadas do centro da cidade e os trens são limpos e pontuais.

Acomodação

Fazendo minhas pesquisas para encontrar hotéis, eu encontrei preços muito mais altos que eu gostaria de pagar. Assim, acabei optando por alugar apartamentos no Airbnb. Além de preços melhores, eu consegui me hospedar em lugares centrais, o que permitiu fazer a maior parte dos passeios a pé. A única exceção foi Mont-Tremblant, onde fiquei no Holiday Inn Express & Suites Tremblant, hotel muito bem localizado e com ótima estrutura.

Gastos

Cálculos de passagem de avião, trem e ônibus, assim como acomodação são mais fáceis de prever. A gente sempre fica na dúvida é de quanto gasta a cada dia, pensando em comida, transporte dentro da cidade e atrações. Para isso, recomento usar o site budgetyourtrip  Com as estimativas do site e minha própria experiência, eu diria que uma viagem de gastos moderados deve custar, por dia, CAD 90 por pessoa. Adicione a esse valor suas passagens aéreas, trens, acomodação e uma grana extra para emergências.

Espero que esse post tenha sido útil. Nos próximos, descreverei, com detalhes, minhas experiências em Toronto, Montreal, Mont-Tremblant e Quebec.